Terça-feira, 17 de Março de 2009

A história de um qualquer alguém II

Vagueio pelas ruas como um espectro abandonado.

Um ser alucinado que diambula entre a gente, mastigando solidão.

Uma sobrevivente dos dias vazios e das noites despidas.

Nasce a manhã  num brilho fosco como um espelho embaciado e tudo é vago, incompleto.

A tarde cresce nas horas e invadem-me os cheiros e os sabores.

A luz e o calor agarram-me o corpo e prendem-me a mente a distâncias incontornáveis.

Sinto o verão a embalar-me cada gesto, cada batimento cardíaco e é como um abraço a aconchegar-me a alma solitária.

Aproxima-se o crepúsculo e eu encaro o horizonte vidrado em tons mangenta que embrulham odores reconfortantes, odores que me fazem encarar a vida como a dádiva perfeita, mas a noite chega e com ela a certeza que em todos os momentos semi-perfeitos do meu dia a tua ausência esteve patente deixando-me insatisfeita, querendo mais, exigindo mais, sempre mais.  Fujo das lágrimas que caem como veneno nos meus lábios e dos pensamentos que arrepiam, que apertam o peito de fininho.

Escondo-me nas vielas nuas da minha cidade acariciada pelo começo da noite e olho a lua, as estrelas e elas mostram-me o teu rosto ainda suspenso nas memórias.

A brisa morna desliza na minha pele enquanto eu na inocência da ilusão do querer mais que bem querer tento apanhar miragens do que foi.

A mágoa aperta e eu sinto a necessidade de calar as vozes na minha cabeça, as vozes das pessoas que teimam em constantemente remexer no meu passado e eu que não quero, nem posso, nem consigo te esquecer sinto as dores das feridas que ainda vivem ao descoberto. 

Acordo todas as manhãs para enfrentar a batalha diária em que se tornaram os meus dias desde que partiste  e eu continuo aqui de pés enterrados na terra aprendendo a viver sem ti.

Nestas horas penso como gostava de ser o teu anjo protector, um ser alado feito de sentimentos e emoções. 

Um ser criado com um só propósito,  proteger-te.

Nascida para te amar, te guiar, cuidar de ti, vigiar com atenção todos os teus passos.

Olhar por ti como se fosses um pedaço de mim.

Ser a voz que ouvias no silêncio do teu coração quando precisasses de um concelho.

Quando estivesses frio ser o calor que te aquecia.

Na tristeza ou na solidão ser os braços que te aconchegavam mesmo sem sentires.

Poder olhar fundo nos teus olhos como quem quer ler uma alma.

E na madrugada ninar os teus sonhos dando-te toda a paz que conseguisse.

Enlear o teu corpo no meu corpo de luz mesmo sem te tocar ficar ali a inalar o teu perfume.

Não dormir para poder passar as noites a olhar para ti, decorarando cada traço, cada contorno, a embrulhar a minha aura na tua.

Não havia nada fora de ti só a tua vida eu respiraria.

E porque seria o teu anjo protector não seriam quilómetros que nos separariam, nem anos, seriam somente centímetros e segundos.

Contra todas as regras eu tocaria os teus lábios, beijaria a tua pele, sentirme-ia completa mesmo sabendo que eras incapacitado de sentir toda a ternura que depositava em ti.

Diriam mal de ti. Diriam bem. Mas na verdade só eu te conhecia e sabia que não eras um monstro nem um princepe perfeito. Não serias um demónio nem um Deus, simplesmente humano, com defeitos e qualidades, e eu amarte-ia assim mesmo.

Quando vulneravel chorasses eu te faria sorrir.

Apesar de saber que jamais me amarias eu seria feliz, mesmo quando te visse a entregar os teus afectos a outros humanos as lágrimas poderiam correr na minha face mas eu seria feliz se tu estivesses feliz .

Mas eu não sou anjo e tu podes-me amar só precisava que me entendesses, percebesses o que sinto quando  estou do teu lado, quando a distância diminui. Fecha os teus olhos e esquece os problemas, nada mais precisa de existir, só nós.

Abre os braços, entrelaça-os em mim e  acolhe-me no teu regaço, preciso de ti, de sentir o teu coração a bater descompassado junto com o meu.

Não deixes a alma fraquejar porque não estas só, nunca estarás. 

Quer eu viva quer eu morra ficarei sempre contigo deixarei a brisa, o vento, o sol levar a saudade que me corre nas veias  para perto de ti para que pelo menos ela possa usufruir do paraíso que é a tua presença.

Por agora fico aqui perdida entre ruelas e calçadas fechando os olhos e esperando que voltes para perto de mim, quando chegares o meu coração vai saber mesmo sem te ver, sem te ouvir, eu vou sentir a tua risada, o calor do teu sangue chegará até mim mesmo sem te tocar, sentirei a alegria  e saberei que chegou o meu complemento então abrirei todos os meus sentidos para te poder absorver por inteiro na memória e no organismo como a mais prazerosa droga.

 

 

 

 

sinto-me:
música que me está a dançar na cabeça: Angel - Sarah Mclachlan
publicado por sombra esquecida às 18:10
link | adicionar aos tais
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

.museu

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.palavras fresquinhas

. Ela e Ele

. Amor pede amor

. Confissões da vida

. ...

. Pensamentos de um louco -...

. crónicas de um amor ausen...

. Perdida na madrugada

. Pensamentos soltos

. Crónicas de um ressacado ...

. A Saudade

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub