Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012

Encontros e Desencontros

Confesso que é estranho, cada vez mais estranho olhar para trás lembrar das promessas e dos eternos amores que acabaram, recordar os nomes e as pessoas, recordar como um dia julguei que talvez ninguém me merecesse, que talvez ninguém fosse digno do meu afecto e do meu respeito, que nenhum ser humano me voltasse a fazer sonhar, que talvez amor nem existisse ou eu não fosse eu direito a ele, então tu apareceste e viraste tudo do avesso, as convicções, as emoções e aquela corda bamba de incertezas e magoas, aí eu percebi que talvez o avesso fosse o lado mais certo, no fundo ha muito que havias aparecido mas sempre tentei fugir do destino por ironia aceitei o nosso na hora exacta de partires, mas valeu a pena, continua a valer, pois fizeste te especial e a mim fizeste me renascer das cinzas, sou a tua fénix. Tive amores, amores loucos e amizades ainda mais loucas, mas tu, mas nós fomos tão sãos, crescemos rápido e devagar, fomos tanto em tão curto espaço de tempo, conquistas-te não por palavras mas por gesto e porque gostar é isso é não arranjar desculpas mas procurar soluções, é querer acima de tudo. A vida não nos deixou viver em romance em plena ascensão, e mesmo assim sei juras de amor eterno (daquele que logo acaba) nos certamente nos eternizamos um no outro e nem a distancia nem o tempo ira corromper a nossa ligação porque as verdadeiras ligações permanecem, mesmo sem palavras, mesmo sem intenção ou pré-disposição, mesmo sem sexo nem amassos, permancem porque basta um olahr que outro nao espera par despertar uma chama acesa. Não é magico nem complicado, tão linear como uma respiração, um batimento cardiaco. O vento leva e o vento tras, fico a espera que o vento te traga a cada amanhecer. 

E pensar que aconteceu tudo tão de repente, quando já tinha perdido a fé. (Re)apareceste e conquistas te, não tiveste tempo para me fazer amar-te mas soubeste usar o tempo que tiveste para me fazer feliz. Vai sê feliz também como eras comigo e nunca mudes, nunca me desiludas e nunca me esqueças. Sempre aqui. Sempre tua com um sorriso.

sinto-me: meia assim
música que me está a dançar na cabeça: Mariquinhas vem comigo para Angola- Bonga
publicado por sombra esquecida às 01:50
link | partilhar palavras | adicionar aos tais

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

.museu

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.palavras fresquinhas

. Ela e Ele

. Amor pede amor

. Confissões da vida

. ...

. Pensamentos de um louco -...

. crónicas de um amor ausen...

. Perdida na madrugada

. Pensamentos soltos

. Crónicas de um ressacado ...

. A Saudade

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub