Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

Pensamentos de um louco - Insónias

Já está tarde, o galo já canta ao longe e o dia já começa a querer nascer na minha janela, mas a lembranca do teu rosto não me deixa adormecer, talvez por isso esta necessidade de te contar que ainda guardo na minha pele o cheiro da tua pele e nos meus lábios o sabor da tua boca.

Fecho os olhos e rebolo na cama, na memória dias felizes, uma outra felicidade, uma felicidade contigo, onde era só tu e eu, o teu sorriso e a minha gargalhada, a tua musica e a minha dança, o teu corpo e o meu prazer, os teus silencios e as minhas palavras, o teu olhar e o meu olhar, simples, fácil, tudo acabava e começava em nós, parecia fragil, soluvel, de consistencia melindrosa ... quem haveria de dizer que era tão consistente, tão alicersado. 

Nós somos feitos do mesmo material que são feitos os sonhos, começamos do nada, demos vida à cinza e ela voou nos ceus como fenix. Foi devagar, eu tinha medo e um passado que assombrava, nao acreditava em promessas, nem em palavras, entao tu vieste devagar, e sem acordar os fantasmas limpaste o velho sotao empoeirado de velhas es gastas recordaçoes, que magoavam, nao prometeste nada, foste apenas cumprindo, mostraste-me o mundo sem falar, a essencia eram os gestos, os olhos negros que chegavam fundo na minha alma.

Até hoje ainda nao compreendi como me conquistas-te, como conseguiste entrar no meu mundo tao bem fechado, rompeste com fronteiras, muros e armaduras apenas com beijos e ternuras, simples e de simplicidades construimos isto a que um dia poderemos chamar de amor literario, pois a nossa historia e este sentimento amachucado, seria inspiraçao ao mais belo romance, daqueles que ficam no fundo da parteleira empoeirados, livros grossos de mil folhas velhas e amarelas, que contam sorrissos e lagrimas.

Tu para mim és o meu melhor sorriso, o brilho no olho, a paz, a unica forma justificavel de morrer é nos teus braços e isto parece melancolico e dramatico mas na verdade é terno é doce, é disto que é feita a felicidade, do sossego que a tua alma me dá, em ti encontrei o meu sitio no mundo, sem ti nenhum sitio é bom o suficiente, nao recordo se algum dia me senti assim de verdade, pois tu apagaste tudo o que existiu antes de ti, e se bem me contam os velhos diarios tive amores bem intensos, mas nós nao somos intensos, somos leves como brisas. Se me pedissem para nos definir a nós ou a este sentimento, escolheria uma paisagem... um prado verdejante ao fim de um dia agosto, ao longe o barulho da agua a correr no riacho, os passaros nas arvores a chilrear enquanto outros passeavam nos ceus ja de varios tons entre as nuvens de algodao, as brisas quentes a agitar ao de leve as arvores prometendo esse outono que chegava ... ou um dia de inverno, uma sala enorme e uma lareira acesa, enormes vidraças e a chuva a bater nelas intensamente, uma taça dum qualquer liquido quente nas maos e uma manta a embrulhar-me o corpo..(o que se sente em dias assim? é exactamente isso que sinto no teu abraço ... a calma, o conforto, a quietude, a paz).

Nao es fogo que tudo consome e no fim deixa o vazio, só a tua ausencia tem esse efeito, nao es como como morrer afogada, és o ar que ajuda a respirar, nao és o meu pior mas o meu melhor, por isso me sinto assim no tic tac frenetico das horas de espera, de silencios, de vazios, de ausencias, de solidao.
Sempre chorei ao ver um filme de amor, ou quando a mama me embalava com historias de encantar, nunca pensei um dia viver uma de verdade, achei q essas paixoes eram tao diferentes do que realmente sao, tao magico, tao intemporal, tao natural.

Um amor assim é feito de pequenas coisas coisas que fazem rir e chorar.

Anciosa pelo teu regresso, já falta pouco, viras diferente, já nao es de certo o mesmo homem, o mundo muda-nos, mas rapidamente de lembraras quem es quando te encontrares em nos.

 

Até breve, de portugal com amor. 

 

 

música que me está a dançar na cabeça: Franco de Vita - Tan solo tu
sinto-me: zen
publicado por sombra esquecida às 06:01
link | partilhar palavras | adicionar aos tais

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

.museu

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.palavras fresquinhas

. Ela e Ele

. Amor pede amor

. Confissões da vida

. ...

. Pensamentos de um louco -...

. crónicas de um amor ausen...

. Perdida na madrugada

. Pensamentos soltos

. Crónicas de um ressacado ...

. A Saudade

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub